Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



ORIENTAÇÃO ESCOLAR E PROFISSIONAL EM ANGOLA

por Lopes Baptista Morais, em 09.04.13

A Mayamba Editora, Carlinhos Zassala (autor) e a Direcção Provincial da Educação de Luanda têm a honra de convidar V/Excia Sr(a). _________________________________________________________ para participar de uma Palestra subordinada ao tema “ORIENTAÇÃO ESCOLAR E PROFISSIONAL EM ANGOLA”, como pretexto para o lançamento do livro com o mesmo título e do livro A CONSTRUÇÃO DE UMA ESCALA DE ATITUDES SOBRE PROFISSÕES – Modelo Likert, a ter lugar: Dia: 09 de Abril (Terça-feira) Hora: 16H Local: Anfiteatro do IMEL – Instituto Médio de Economia de Luanda, ao Largo da Independência (ex-1º de Maio) e à Avenida Deolinda Rodrigues.


Sobre o Livro

 

Neste livro, Carlinhos Zassala propõe esclarecer as causas que determinam o fraco rendimento dos alunos do ensino de base regular do I nível, ensino primário, que muito bem classifica de «pedra angular de qualquer subsistema de ensino», apontando para três factores que, no nosso país, comprometem o desempenho escolar dos alunos do I nível. O primeiro, refere-se a problemática da utilização do português como língua de ensino em Angola, questão absolutamente pertinente na medida em que o português não é a língua materna da maioria das crianças angolanas.

O Autor relaciona ainda o fraco desempenho escolar com a precária formação técnico-cultural e psicopedagógica dos professores que, por norma, para além de estarem afectos a estruturas e organismos disfuncionais, que pouco ou nada contribuem para a promoção da sua formação profissional, sentem-se ainda miseravelmente limitados e constrangidos pela ausência total de incentivos que se deveriam traduzir na formação contínua e em contrapartidas sociais e económicas.

            Por último, o terceiro factor apontado como condicionante do fraco rendimento escolar dos alunos do I nível refere-se às condições de aprendizagem na escola e em casa, que para a maioria são praticamente inexistentes. Pode afirmar-se que os alunos e os professores angolanos não encontram nos seus lares nem nas escolas as mínimas condições de trabalho conducentes a uma prestação positiva de ambos.


 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:49


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D